Publicado por: arielalmeida | 30 de julho de 2009

digo-lhe mais

hoje, noite crua,
digo à rua, contigo estou;
sem dano, também rezo-te o bem
o de querer só o carinho e a compreensão.

digo também que és da forma bela,
a que todo cenário deveria apreciar:
até o das desgraças e o da tristeza
porque depois há avenida mais límpida.

peço perdão, contudo.
não pude ser-lhe o que no cerne desejei
nem o que foi sonhado ao clamar
rezo-te o bem.

disse-lhe insinceridades
quando invoquei toda sorte de plateias;
perdoa-me, por favor, só quis bendizer
sou tua honra e tua discórdia.

clamo por honra porque,
de gratidão,
mesmo na discórdia
hei de te respeitar.

e pela discórdia
por sermos um ser e outro
sempre com a honra
do, mesmo árduo, bendizer.

pode, toca as cortas
como o chão, tão formoso,
ou o sol, lá brilhoso,
mas di-me mais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: